Garantia de Escoamento e Elevação Artificial

Garantia de escoamento é um conjunto de atividades de previsão, prevenção, mitigação e remediação de depósitos orgânicos e inorgânicos e de outros fenômenos que reduzem a capacidade ou impedem o escoamento de um sistema de produção. Tal preocupação agravou-se a partir da exploração em águas profundas, ambiente no qual as baixas temperaturas, aliadas às altas pressões, apresentam mais riscos ao escoamento. Todo tipo de petróleo está sujeito a problemas de garantia de escoamento porque estão associados à sua composição química e à condições ambientais e de fluxo. Podem ocorrer, portanto em óleos leves, pesados, condensado ou gás natural.

Os riscos mais comuns incluem deposição de parafinas; formação de hidratos; floculação por asfalteno; formação de emulsões; corrosão de materiais utilizados no processo; e incrustação de sais, além da intermitência severa do fluxo que podem provocar desde a perda parcial de produção até a parada completa do poço por obstrução total de linhas de produção.

As principais atividades de garantia de escoamento são: a injeção de produtos químicos; a elaboração de procedimentos preventivos, principalmente em situações de parada e partida de produção; e a passagem de pigs, dentre outros.

A elevação artificial é necessária quando a pressão de um reservatório não é suficiente para permitir o escoamento da produção de um poço até a superfície.  Os principais métodos de elevação artificial são encontram-se o gas lift contínuo, o bombeio mecânico e o bombeio centrífugo submerso.

O gas lift é o método de elevação artificial mais utilizado na produção em águas profundas no Brasil e consiste na injeção de gás natural por meio de uma válvula na coluna de produção. A mistura desse gás com os fluidos provenientes do reservatório resulta em uma redução da densidade dos mesmos e diminui a pressão necessária para elevar a produção até a superfície.

O bombeio mecânico, por sua vez, é um dos métodos mais difundidos no mundo e sua aplicação é restrita às operações em terra. Nesse método, uma câmara é instalada no fundo do poço com um pistão e um par de válvulas. O pistão é movimentado por um eixo conectado a um motor na superfície (cavalo de pau), permitindo a abertura e o fechamento das válvulas e consequente entrada de fluidos em seu interior. O movimento ascendente fornece energia suficiente, para que fluidos  cheguem até a superfície.

Diferentemente do bombeio mecânico, no bombeio centrífugo submerso, método de elevação artificial previsto para o Campo de Atlanta, o motor do sistema também se situa dentro do poço, separado das bombas apenas pelo selo protetor. É necessário usar um cabo para conduzir eletricidade da superfície até esse motor, que a transforma em energia mecânica, girando o eixo do sistema. Esse mesmo eixo movimenta os impulsores da bomba que transmitem energia cinética aos fluidos por meio de sua rotação; entre cada impulsor, há um elemento estático, o difusor, que conduz a produção para o impulsor acima, transformando a energia cinética em potencial. Esse ganho de energia potencial significa um aumento de pressão suficiente para a elevação dos fluidos até a superfície.

 

 

Última atualização em 2015-07-01T09:15:10

Downloads


Apagar este documento do carrinho
Limpar Lista Baixar Documentos